Vida
"Só entendemos direito o milagre da vida quando deixamos que o inesperado aconteça.

Todos os dias Deus nos dá um momento em que é possível mudar tudo o que nos deixa infelizes.

Todos os dias procuramos fingir que não percebemos este momento,que hoje é igual a ontem e será igual ao amanhã.

Mas quem presta atenção ao seu dia descobre o instante mágico.

Ele pode estar escondido na hora em que enfiamos a chave na porta pela manhã, no instante de silêncio logo após o jantar, nas mil e uma coisas que nos parecem iguais.

Mas este momento existe, um momento em que toda a força das estrelas passa por nós, e nos permite fazer milagres.

A felicidade às vezes é uma benção,mas geralmente é uma conquista.

O instante mágico nos ajuda a sair em busca de sonhos.

Vamos sofrer,vamos ter momentos difíceis,vamos enfrentar muitas desilusões.

Mas tudo isto é passageiro, e não deixa marcas."





(Paulo Coelho)
































Raramente somos livres;

somos escravos da moda;

das aparências;

das opniões;

dos nossos sentidos.

Tantas barreiras

que se opõem

ao curso natural

dos nossos pensamentos !!



Tudo vai ficar melhor

"Muitos dizem, pior do que isso impossível, acredite, pode piorar, enquanto você pensar assim, certamente ficará cada vez pior. Seja otimista, grandes oportunidades surgem nos piores momentos, se você souber vê-las.

A vida tem altos e baixos, quando estamos no alto tudo parece claro, nítido, temos força, coragem e determinação para superar todos os obstáculos que nossa vista alcança, a motivação e o espírito de liderança são nossos aliados, ninguém pode nos vencer. Mas nos momentos de baixa nos falta força, coragem, auto estima e bom senso, às vezes perdemos a fé e os pensamentos ficam turvos, nestas horas você deve acreditar, invocar as forças motivacionais que existem em seu interior e gritar bem alto: Tudo vai ficar melhor!"













"Fazer valer a pena..."

_A vida é muito curta para acordar com arrependimentos.
_Ame as pessoas que te tratam bem.
_Acredite que tudo acontece por uma razão.
_Se tiver uma segunda chance, agarre com as duas mãos.
_Se isso mudar sua vida,deixe acontecer.
_Abrace.
_Beije.
_Perdoe.
_Deus nunca disse que a vida seria fácil.
_Ele simplesmente prometeu que valeria a pena!
"Fazer valer a pena!!"


sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Zé Renato desrespeita Justiça e por falta de medicamentos, paciente morre

"BARRA MANSA"
O prefeito de Barra Mansa e candidato a reeleição, José Renato (PMDB) e o Secretário de Saúde, Wilton Neri Pereira, respondem a processo movido pelo Ministério Público por improbidade administrativa por terem descumprido sucessivas ordens para o fornecimento de medicamentos a pacientes e, segundo a 2a Promotoria de Justiça da Tutela Coletiva Núcleo de Volta Redonda, a negligência dos gestores públicos causou a morte de um paciente, como narra o Inquérito Civil no.: 42/11:
“Os usuários do Serviço de Saúde prestado pelo Município de Barra Mansa vêm, na gestão dos réus, sofrendo com falta de medicamentos. Em razão disso, diversos pacientes recorrem à Defensoria Pública, que então propõe ações individuais, com pedido de condenação do Município à entrega de medicação”, destaca trecho da ação.
Outros trechos são ainda mais duros com o prefeito e seu Secretário de Saúde: “Os réus vêm descumprindo as ordens judiciais que determinam a entrega de medicamentos, desafiando a autoridade do Poder Judiciário, e dando azo, inclusive, à incidência de multa contra o Município. A gravidade da situação é tamanha, que, em diversos casos, desobedecida a ordem judicial de entrega de medicamentos, outra alternativa não restou à Defensoria Pública que não postular o arresto de dinheiro da conta do Fundo Municipal de Saúde, para que o autor da ação, seu assistido, providenciasse, por si, a compra do remédio”.
No processo, os promotores citam, que, além da negligência, do “desprezo com a autoridade do Poder Judiciário”, “prejuízos aos cofres públicos com as multas, “a conduta dos Réus também põe em risco a saúde e a vida dos pacientes”.
Um exemplo de morte causada por omissão e negligência do Prefeito Zé Renato e do Secretário de Saúde foi descrita pelo Ministério Público no inquérito. Apesar de diversas decisões judiciais determinando o fornecimento de medicamentos (DUOVONT SOL 15 ml, PREDCORT 20 mg, SPIRIVA 1 cx SYMBCORT TURBO 400 mg), a prefeitura sistematicamente descumpriu as decisões judiciais. A filha do paciente narrou o seguinte ao Ministério Público:
“...que durante a doença de seu pai houve muita dificuldade em obter a medicação, pois as receitas tinham prazo de 30 dias, e, por causa da falta dos remédios na farmácia, o prazo da receita acabou vencendo e aí era preciso realizar nova consulta médica; que, no final, havia atrasado em 3 meses na entrega do remédio, que o Sr. Ary foi internado no hospital durante 12 dias e acabou falecendo, que nem no hospital o remédio foi fornecido”.
Segundo a Promotoria, ao deixar de assegurar o fornecimento dos medicamentos de “que Ary Augusto Muller fazia uso contínuo e que eram essenciais a sua saúde e vida, fato que prejudicou sobremaneira o tratamento do paciente e culminou com seu óbito em junho de 2010”.
A situação é mais grave ainda, segundo o MP, porque os medicamentos fazem parte de Listagem de Medicamentos Padronizados (Portaria MS 2982/2009), o que agrava mais os fatos, pois deveriam estar sendo fornecidos regularmente pela Farmácia Municipal.
NOTA
A equipe do jornal A VOZ DA CIDADE entrou em contato com a assessoria do prefeito José Renato, que informou que a Consultoria Jurídica da Prefeitura informou que ainda não foi informada sobre o processo com relação a falta de medicamentos. “As demais ações decorrem do ato de gestão. Quanto ao prefeito Zé Renato, ele tem muita tranquilidade, pois sempre pautou sua conduta com a mais estrita observância aos princípios éticos, morais e legais”, informou a nota.


 
ENQUETE
A equipe do A VOZ DA CIDADE foi ás ruas e perguntou para a população como eles avaliam a saúde de Barra Mansa e como reagiriam se prefeitura, em caso de emergência, negasse medicamento a eles.
“A saúde não está de todo mal, em relação a UPA é nota dez, mas num todo ainda pode melhorar muita coisa. Tirando a unidade, pessoas estão tendo dificuldade de serem atendidos. Se o governo federal ajudasse iria ser muito melhor. Ficaria frustrado se não houvesse o remédio, é uma situação inaceitável”, Cavalcante Albuguerte, aposentado de 80 anos.
“A situação atual está bem complicada, a população está crescendo e o serviço de saúde não está acompanhando. Existe a necessidade de melhorias urgente! Outro problema grave é o preço alto dos remédios, por isso se faltasse o medicamento que necessito ficaria difícil, só iria existir uma saída, comprar o remédio, porém nem todos têm o dinheiro necessário”, Luiz Tiburte, aposentado de 79 anos.
“Péssima, uma vez fui à UPA com a minha menina, cheguei por volta das 19 horas, sai de lá mais de meia noite, total descaso. Uma desorganização que só quem passou sabe e precisa urgentemente melhorar. Seria uma coisa constrangedora não ter o remédio, muitos não têm o dinheiro para comprar eles e dependem desse serviço para sobreviver. Uma situação muito complicada!”, Marcelo Fontara, marceneiro de 41 anos.
“A saúde passa por um momento delicado, existem aspectos que precisam melhorar urgentemente, como a rede de hospital, que é muito pequena para o número de barramansenses. A falta de remédio é uma situação péssima para qualquer um, não deveria haver a falta de medicamento, os responsáveis têm que arcar com a culpa”, Marcos Vinicius da Silva, vendedor de 25 anos.
“A saúde do município está bastante ruim, existem pessoas sofrendo muitos problemas por conta dessa baixa qualidade. Precisa ter mais médicos, agilidade no atendimento, pois quem não tem convênio sofre muito. Essa situação de falta remédio eu tenho dentro de casa, meu filho é hipertenso e às vezes não tem, aí tem que comprar, não tem outro jeito”, Gilca Maria, aposentada de 72 anos.
“Péssima, além da saúde estar precária, existem médicos que não estão preparados, grossos. Uma cliente minha falou que foi à UPA e foi muito mal tratada, além de esperar muito e existir burocracias de mais. Se tivesse o remédio iria morrer. A gente que trabalha já é difícil comprar o remédio, e quem depende desse serviço? Uma situação bastante difícil”, Viviane Schirmer, cabeleireira de 48 anos.
“As condições enfrentadas pela saúde atualmente estão péssimas, falta mais empenho e recursos nos hospitais e postos de saúde. E parece que não está havendo mudança nenhuma, está parado, não está havendo evolução nenhuma. Se existe o comprometimento de dar o remédio, não pode haver a falta dele”, Thainara de Aguiar Silva, estudante de 18 anos.
“Hoje está muito complicado, todos os lugares da saúde estão sempre lotados, não está dando vazão. Além disso, o atendimento encontrado é muito precário, está melhorando pouco, mas está. Porém, tem que melhorar mais rápido para acompanhar o crescimento da cidade. Ficaria revoltado se não houvesse o remédio, prometer uma coisa e não cumprir é deprimente”, Relsion Benedito Barbosa, técnico em manutenção de 46 anos.
“A saúde da cidade está muito ruim, precisa de bem mais melhorias do que está havendo agora. A gente que trabalha e não tem horários flexíveis para marcar alguma consulta, é muito difícil, sempre não tem hora. Alguns comprariam o remédio caso não houvesse, reclamar na prefeitura não adianta, eles não resolvem nada. Não pode ficar sem o remédio se não só piora”, Anataliana Vargas de Oliveira, crediarista de 21 anos.
“Saúde péssima, porque não tem dinheiro nenhum para investir. Muitas pessoas estão morrendo sem nem ter uma consulta, e quando tem o remédio é caro de mais. Essa situação já aconteceu comigo, fui lá uma vez e não consegui pegar remédio, nunca teve, não volto mais para pegar, é perca de tempo”, Juvenal Novaz, aposentado de 85 anos.
 
 
 
 
Fonte: A Voz da Cidade
Postado em 28/09/2012

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

olá amigos...deixem seu recado!!

Seguidores

Arquivo do blog

De Sonia e Ademilson :

De Sonia e Ademilson :